domingo, 7 de novembro de 2010

You've got me on my toes


Achei que eu ía chegar nesse blog com aquela vergonha de quem encheu a cara no dia anterior e só lembra de flashes embaraçoso.

Mas depois do que eu vi ontem, eu chego aqui com a cabeça erguida e peito estufado.

Eu fui no show do Jonas Brothers.

Eu, Renata, no meus quase 24 anos, estava na grade da área VIP Premium do show da banda queridinha da Disney: Jonas Brothers.

Muitos nesse momento questionaram meu gostos musical, se perguntaram sobre as bandas de rock que eu gosto, aposto que alguns até acham que as bandas de rock que eu gosto é pose de menina adolescente... Bom... volte na quinta-feira.

Ontem eu sai de casa com o coração na boca, não pelo show em si... mas por ser a primeira vez que eu ia a um show sozinha.
Cheguei e com todos os privilégios de VIP entrei rapidinho. O estádio ainda estava enchendo, tinha quase ninguém... Sentei na minha cadeirinha, mas logo percebi que basicamente só eu, pais e crianças muito pequenas estavam fazendo isso. Todo o resto já estava na grade.
Esperei ficar mais perto do show e consegui um lugar ao sol na grade.
Logo nesse momento eu percebi o quanto o público de JB é mais variado do que eu imaginava, estávamos eu, uma menina de 16, uma de 12, uma de 8 e uma mãe... A mãe era a mais animada de todas, devo dizer.

Com o cancelamento da vinda de Demi Lovato, antes do show só teve a participação do elenco de Camp Rock 2. Nothing new there, eles são muito animados e foram muito carinhosos com a platéia... numa vibe Disney mesmo.

Depois de alguns membros do elenco mostrarem seu trabalho solo, entraram em grupo para as músicas do filme... mas para acompanhá-los entrou a banda do JB. Os gritos já atingiam notas que nunca imaginei, eu mesma gritei feito uma alucinada quando o Garbo entrou... can you blame me? (googla ele aí...)

Bom, antes do que todo mundo esperava, apareceu no telão o relógio de contagem regressiva para a entrada dos Brothers. Confesso, meu coração deu uma disparadinha...
Eles entraram com MUITA energia e cantando Feeling Alive. Foram adoráveis com a platéia.

Eles me surpreenderam bastante, muito mais energia e animação...
Eu estava separada da grade por apenas uma garota e ela ainda era ,mais baixa que eu (prós de se ir em shows pré adolescentes!). Eles faziam questão de animar o público, uma pena que graças ao público que estava lá, eles pareceram perder um pouco essa energia. A insistência de gritar o nome da Demi Lovato no intervalo de cada música e de querer cantar parabéns para o Kevin a cada 5 segundos.
Até o famoso discurso do Nick durante a música A little Bit Longer, fizeram questão de interromper. Tá, gritaram "Nick, eu te amo", mas até aí... o cara tá fazendo um discurso sobre superar seu problemas e tal e você sendo paunocu.
E não venha me dizer que isso é coisa de público do Jonas Brothers, porque eu sei que em lugar nenhum isso acontece, inclusive nem no show do ano passado, até onde eu sei.

Mas mesmo entre mortos e feridos, eles foram muito adoráveis e faziam questão de falar o quanto as fãs eram importantes. Nick até destacou o fato de um público que fala um idioma diferente estar cantando as músicas inteiras.

Bom, foi esse garoto encostar no piano que a choradeira começou. Nossa senhora, eu nunca vi tanta gente junta chorando (incluindo enterros). Eu estava me sentindo muito deslocada, mas ao mesmo tempo era incrível ver o poder daqueles 3 caras nas pessoas.
Como é gigantesco o amor dessas meninas por eles e como eles são adoráveis e fazem questão de retribuir, sempre com sorrisos e muitos "thank you" e "obrigado".
Não sei se vocês tem noção do que significa para um fãs receber esse carinho...

Essas questões a parte, foi um show sensacional, que não deve nada para muitos que eu já vi... e digo mais... melhor que shows de rock que eu já fui. Tirando as partes Disney, onde entrava o elenco de Camp Rock (afinal, essa era um turnê Camp Rock e não só Jonas Brothers), o show fez um show de pop rock para ninguém botar defeito. Mostraram que dominam bem suas guitarras e que a banda de apoio, é apenas isso... apoio. Alguns solos são feitos por John Loyd Taylor, guitarrista da banda de apoio e diretor musical da banda, mas apenas porque eles fazem questão da total participação deles, já que estão justos desde o começo... Kevin e Nick fizeram solos tão ou mais elaborados que o de John, não deixando a dúvida de que não são só rostinhos bonitos... são músicos competentes sim!

Você pode não gostar de pop e eu respeito isso, mas os Jonas são músicos de respeito que podem fazer o que quiserem e que a cada álbum mostram um crescimento absurdo.

É, eu tinha vergonha de gostar deles. Não tenho mais. Tenho orgulho de ser fã de Jonas Brothers!

Ano que vem, estarei lá de novo. Podem ter certeza. Ou quem sabe vou para o RJ para ir no show, já que dizem que lá foi melhor (inveja).


PS: O Kevin é o cara! Sério...

2 comentários:

Willian disse...

Ah, cada um tem o direito de gostar do que quer, indepentende da idade. E do que tenho visto atualmente, os Jonas nem são uma banda ruim. Eu que não sou o público-alvo mesmo, mas nem por isso vou falar mal.

Como um... disse...

entrem ai
http://bookcomoum.blogspot.com/