quarta-feira, 2 de junho de 2010

Fúria do Brancatelli


Sabe quando você faz alguma coisa sabendo que vai ser ruim, e acaba sendo pior ainda?
Quando você vai dar aquela má notícia a alguém, terminar um namoro, tomar aquele remédio estranho, ficar de porre...
Pois é...

Passei por isso na última sexta.
No cinema.

Afinal, se fosse depender das críticas, eu definitivamente não teria gasto 20 reais para assistir Fúria de Titãs!!
Teria gasto em algum livro, usado pra jantar, doado aos pobres, usado como papel higiênico, queimado... qualquer uma dessas opções teria sido melhor.
Mas não. Resolvi arriscar a sorte naquela noite.
Quem sabe eu não me surpreenderia.

E me surpreendi!
Me surpreendi de tão ruim!

Vale dizer que o filme é uma refilmagem de um filme tosquíssimo do começo da década de 80, que se tornou um clássico extremamente divertido da Sessão da Tarde.
Ao assistir a refilmagem, a impressão é de que os produtores quiseram fazer alguma coisa TÃO TOSCA quanto o filme original.
Mas homenagem tem limite...

A história é a de Perseus, filho de Zeus com uma mortal, que se vê envolvido em uma revolta contra os Deuses ao mesmo tempo que tem que defender a cidade de Argos do terrível Kraken, monstro criado por Hades.

Certo, primeiro vamos dar uma lição de história aos roteiristas do filme.
Hades, o Deus do mundo dos mortos (e não do Inferno, ou da morte, ou coisa do tipo) nunca foi mais vilanizado pelos gregos que qualquer outro Deus. Ainda assim, o filme insiste em coloca-lo como vilão, uma espécie de Loki, uma espécie de Diabo. Nada mais longe da verdade. Assim como Zeus era o Deus do céu e da terra e Poseidon comandava os mares, Hades era soberano do mundo dos mortos, tão amado e temido quanto qualquer outro Deus.
E é necessário dizer que, ao contrário do que o filme vende, Hades nunca foi "traido" por Zeus. Bobagem (ou ignorância) das grandes.

Agora sim podemos falar de todas as falhas do filme! \o/

O roteiro é chato demais.
História entediante, diálogos patéticos, personagens sem carisma...
Qualquer cena que não tenha um mínimo de ação é um verdadeiro convite ao sono.

As atuações são tristes.
A direção de atores é de uma inexistência capaz de causar inveja ao George Lucas.
Ainda que tenha bons atores, o filme mais parece aquelas peças de teatro que alunos do primário organizam para o dia das mães, sabe...

As cenas entre os Deuses são constrangedoras.
Com suas armaduras brilhantes, reunidos em uma nuvem, eles mais se parecem com Cavaleiros do Zodíaco que com Deuses. Era possivel escutar risadas tímidas no cinema, como se as pessoas estivessem indecisas se aquilo era ou não era uma comédia.
Constrangedora também é a cena em que Zeus fica surpreso ao saber que tem um filho entre os mortais... PORRA, ZEUS TRAÇAVA QUALQUER COISA QUE SE MEXIA!!! Devia é estar surpreso pelo seu filho não latir!

Os efeitos especiais são dignos de pena.
Compare a luta com os escorpiões gigantes com qualquer coisa já feita na nova trilogia de Star Wars! Repare na maquiagem dos Djinn e em como parece que colocaram uma máscara do Megatron, dos Transformers, no pobre coitado do ator! Tente encontrar algum traço de naturalidade na Medusa, que mais parece saída de um jogo de video-game!
Em tempos de Avatar, os efeitos-especiais de Fúria de Titãs parecem tão ultrapassados quanto os do filme original.

Mas claro que nem tudo é ruim.
O filme até consegue empolgar no final.
Seu grande trunfo, sem dúvida nenhuma, é a cena do Kraken, que é tudo aquilo que você esperava... que dura cerca de 5 minutos e que já tinha revelado toda a graça no trailler! E no pôster!! É aquilo, e nada mais...
Quer dizer, até o melhor do filme consegue decepcionar!!!

O filme também foi convertido em 3D na pós-produção, por conta do sucesso de Avatar.
O resultado foi algo extremamente mal-feito, com falhas gigantescas, que tornam as cenas de ação confusas e acabam com as únicas coisas boas do filme.
Provavelmente os produtores pensaram "Vamos colocar tanto as cópias em 2D e 3D nos cinemas. Assim, quem sair do 2D vai achar que a versão 3D deve ser melhor, e quem sair do 3D vai achar que a versão 2D é melhor. Daí ninguém vai achar o filme ruim, vai apenas acreditar que... não assistiu a versão certa! Brilhante!!"
Não se engane. Se for pra assistir, assista a versão 2D.

Aliás, assista em casa, com os amigos.
O melhor de assistir a um filme ruim é poder comentá-lo.
E você ainda pode fazer piadas do tipo "ei, quando é que o Paulo Mikloes e o Branco Mello vão aparecer? Háháááááá!!"
Recomendo!



Podem até me chamar de exigente, e eu sou mesmo!

Depois de Avatar, todo o público se tornou mais exigente.
Os produtores de cinema também deviam se tornar...

Um comentário: