quarta-feira, 5 de maio de 2010

Homem de Ferro 2


Pergunte a qualquer fã de quadrinhos qual é a verdadeira graça das HQs do Homem de Ferro.
Aposto que eles não responderão que é O Homem de Ferro.
Também não responderão que são as tramas, ou as sequências de ação.
E eles certamente não responderão que são os vilões ou as armaduras tecnológicas.

A verdadeira graça das HQs do Homem de Ferro tem nome, sobrenome e bigodinho:

Tony Stark!

O verdadeiro trunfo das histórias do Homem de Ferro é o homem fora da armadura, um cara narcisista ao extremo, alcoólatra, arrogante, mulherengo, vaidoso e até egoísta. Um cara que realmente acredita que todo o mundo gira ao seu redor. Um personagem tão odioso... que é simplesmente impossível odiá-lo.
As melhores sagas do personagem (que podem aliás ser contadas nos dedos de uma mão) tem o foco no lado mais humano do herói, como seus vícios, suas falhas, seus equívocos, suas decisões.
O Homem de Ferro, assim como a maioria dos heróis da editora Marvel, serve na maioria das vezes apenas como coadjuvante para a sua identidade secreta.

E, para a nossa sorte, a Marvel entende que a história nunca é sobre a máscara.
É sobre o rosto debaixo da máscara!

Por isso não é surpresa nenhuma que Homem de Ferro 2, terceiro filme produzido pela Marvel Estudios, pertença completamente a Tony Stark.
Afinal, o grande sucesso do primeiro filme se deve ao personagem e ao ator que o interpreta, o sempre brilhante Robert Downey Jr.! Portanto, nada mais lógico que dar ao público ainda mais daquilo que ele tanto adorou!!
E isso fica ainda mais óbvio quando o diretor Jon Favreau faz com que atores do porte de Mickey Rourke, Gwyneth Paltrow, Don Cheadle, Scarlett Johansson, Sam Rockwell e Samuel L. Jackson façam apenas figuração para os momentos em que seu ator principal não está em cena.
Nick Fury? Máquina de Combate? Viúva Negra? Justin Hammer? Todos eles são sim muito legais, mas o filme pertence ao Tony Stark, e deixa isso bem claro em cada cena.
Sequências de ação? Sim, elas existem, e estão mais impressionantes que nunca! Mas estão longe de ser a graça do filme.
Afinal, este não é um filme de ação. É um filme baseado em uma HQ, o que é muito diferente.

E se o filme é inteiro do personagem, o personagem também está inteiro no filme.
Se no filme anterior ele já mostrava todas suas características negativas, neste ele as mostra com ainda mais dedicação.
Stark se mostra ainda mais arrogante, fazendo de uma audiência política seu show particular. Se mostra ainda mais festeiro, ficando perigosamente bêbado em sua festa de aniversário e se exibindo em sua armadura para os convidados. Se mostra ainda mais egoísta, presunçoso e auto-destrutivo. Ridiculariza publicamente seus rivais e deixa claro que, se a paz é uma possibilidade, o mundo deve tudo a ele. Mostra o que existe de pior do caráter humano.
E assim, nos presenteia com um personagem ainda mais interessante.

Mas sejamos sinceros, Tony Stark não seria nada sem o roteiro bem amarrado de Homem de Ferro 2. Ou sem seus coadjuvantes, que mesmo com o aumento significativo de personagens, ganham ainda mais destaque nessa sequência. Pepper Potts tem ainda mais importância na vida de Tony. James Rhodes finalmente mostra a que veio. Até mesmo Happy Hogan ganha mais relevância e sua própria cena de luta. E tanto Nick Fury quanto a Viúva Negra mostram que serão de extrema importância nos futuros filmes da Marvel.

Sim, porque a maior graça dos filmes da Marvel Estúdios é a impressão de estar lendo uma história em quadrinhos, principalmente por criar a sua própria cronologia.
Os eventos que acontecem em Homem de Ferro refletem no filme do Hulk, que reflete em Homem de Ferro 2, que refletirá em Thor, Capitão América e no futuro filme dos Vingadores!!
Aliás, nem pense em sair do cinema antes dos créditos!!!
Nem! Mesmo! Pense!

Se foi a editora DC quem criou o conceito de super-herói com o Superman, Batman, Flash e Lanterna Verde, então foi a Marvel quem ensinou que o que realmente importa não é o lado super, e sim o lado humano. E é isso que ela prova no cinema.
Tony Stark é o que existe de pior em um ser-humano... mas também é fragil, trágico. Se em um momento você o enxerga como um bêbado festeiro, em outro você acaba vendo um homem que simplesmente não se sente à vontade dentro de sua própria pele. Se numa hora você vê alguém arrogante, em outra você percebe que é exatamente isso que o mundo espera dele, e não há como fugir.
Por mais que você tente odiá-lo, você acaba se identificando com ele.

E, no final, enxerga a si mesmo.

5 comentários:

Willian disse...

Sim, ótimo filme e personage com grande capacidade de ter tramas mais 'alcoolicas', por se assim dizer...

E o Branca todo meninão no cinema também foi um show a parte.

Guilherme disse...

Putz Brancatelli, juro que escrevi pra vc no Orkut antes de ler aqui!

É isso mesmo, o Tony Stark roubou a cena...Quem esperava um filme onde apareceria um herói que é imbatível até na moral, assistiu uma coisa totalmente diferente.

Confesso que eu não conhecia muito o Tony Stark dos quadrinhos. Talvez pq eu só conheci o Homem de Ferro em sagas tipo, "Desafio Infinito"; "Guerra Infinita"; essas coisas que não enfatizam um personagem só...Mas gostei bastante, fiquei curioso em conhecer mais!

Que venha Vingadores, Thor, Capitão América, o universo Marvel inteiro!

E eu saí do cinema antes dos créditos...¬¬

Abraço!!

Douglas Funny disse...

Num vi... num deu tempo.
mas vou ver...pq ainda há tempo.
...e vc escreveu errado ali no "adorarou"... mas fica entre nós.

abraço.

Gabriel disse...

Preciso ver!

E fiquei curioso quanto ao que vem antes dos créditos!

Renatinho disse...

Tenho que ver, mas acho que só semana que vem =/
War Machine é um dos meus favoritos no jogo Marvel vs. Capcom risos


E durante os créditos?