terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

A Volta do Blink-182

Nenhum fim é definitivo no mundo pop.

O Police esqueceu as diferenças entre seus membros e até a bem-sucedida carreira solo de Sting e retornou para uma (extremamente) lucrativa turnê.
O Pink Floyd deixou por algumas horas a rivalidade doentia entre David Gilmour e Roger Waters de lado e, após 24 anos, se reuniu no Live 8.
O RPM escondeu debaixo do tapete os motivos que levaram ao fim da banda e retornou para uma turnê que resultou em um CD e um DVD.
O Doors e o Queen abandonaram o luto pela morte de seus vocalistas e os substituiram para novos shows e álbuns.
E certeza que se John e George estivessem vivos, uma reunião dos Beatles já teria acontecido em algum evento beneficente.

O fim do Blink-182 durou quase exatos 4 anos.
No último dia 8, o trio se juntou para apresentar o Grammy de Melhor Álbum de Rock e anunciar o retorno da banda, algo que já era esperado pelos fãs desde o final de 2008, quando Mark, Travis e Tom voltaram a se falar (provavelmente por causa do acidente de avião sofrido pelo Travis).
Tudo muito bonito se não fosse por um detalhe:

Está mais que na cara que o Blink nunca mais será o mesmo de antes.

A separação, em fevereiro de 2005, pegou todos os fãs de surpresa.
Segundo Mark e Travis, um perturbado Tom DeLonge abandonou a banda de uma hora pra outra sem dar explicações e passou os últimos anos mantendo distância dos antigos companheiros. Enquanto isso, criou o pretencioso e chato Angels e Airwaves, projeto que ele mesmo afirmava que iria mudar a música (claaaaaaaro que sim, Tom). Ao mesmo tempo, Mark e Travis montaram o +44. As duas bandas tiveram seus CDs de estréia entre os mais vendidos da Billboard, mais por onta da popularidade e do prestígio da banda antiga que pelos méritos musicais das duas bandas.
Quem viu os 3 no palco do Grammy percebeu a divisória existente entre Tom e o resto da banda. Foi estremamente constrangedor ver Mark e Travis anunciando como vencedor o Coldplay, enquanto que o Tom ficava de lado, até meio afastado dos companheiros, como se fosse mais um agregado que propriamente um membro da banda.

Na minha opinião, o erro fatal da banda foi quando eles começaram a se levar a sério.
A fórmula do sucesso do Blink era, tanto quanto a música, o bom humor dos integrantes, principalmente Mark e Tom. Esse era o diferencial deles.
Seja nos clipes, nas entrevistas, nas letras, o trunfo do trio era você conseguir enxergar neles os seus amigos babacas e idiotamente engraçados, que saem correndo pelados pelas ruas, imitam boybands e se fazem de bobos em troca de algumas risadas sinceras.
E tudo isso desabou no momento em que um de seus integrantes passou a olhar o mundo de cima, com o nariz empinado e um certo ar arrogante que dizia "eu sou melhor que tudo isso".
E essa postura será algo bem difícil de engolir e esquecer daqui pra frente.

Se estou curioso em saber aonde isso tudo vai dar? Claro que estou!
Mas, para mim, sumiu aquela aura que a banda tinha.
A imagem divertida foi embora junto das piadas e do clima amigável que fazia do Blink-182 algo tão especial em meio a tantas bandas que acham que tudo o que importa é a música. E isso está muito longe da verdade.

Porque o carisma, algumas vezes, vale muito mais que a genialidade...

12 comentários:

Bonie disse...

Não duvide que eu vou acompanhar a trajetória dos amigos, viu.

Mas tenho certeza de que o Blink nunca mais vai ser o mesmo de Take Off Your Pants and Jacket :(

Mesmo assim, já tô esperando o show deles por aqui =P hahaha

Tarsila disse...

pãts, eu lembro da primeira vez que ouvi 'all the small things', tava começaaando a assistir mtv. gostei de todas as fases, até do DON'T WAAASTE YOUR TIME ON ME YOU'RE ALREADY THE VOOICE INSIDE MY HEAD, mas não é essa que eu quero de volta :~
bom, vejamos no que vai dar, né?

Renatinha disse...

Que saudade deles correndo nus por aí (especialmente o Mark!)...
O grande trunfo deles pra mim era a química Mark e Tom... o Que aprece estar faltando, pois é... quem mandou o Tom sair por aí falano que Blink era banda idiota de adolescente?

Mas não adianta, nós que passamos nossa adolescência escuando Blink ficaremos de olho em tudo que aparecer... e se tiver show no Brasil vou pra ouvir as antigas pelo menos!

Kurt Casablancas disse...

Olá companheiros blogueiros =)
Adorei o blog, e por incrivel concidencia, eu tb estava no show do Little Joy e Hives aqui em sampa, hehe
boa sorte á vc's, espero manter contato.

see ya
XOXO

Renatinho... disse...

Eu ouvia blink na adolescência como a maioria [eu acho], massssssss, sem as brinks antigas do Mark e do Tom PRA MIM eles vão ser só mais uma banda...
Enfim, vamos ver o que acontece!

Abrass

blogisalosinggame disse...

eu não esperava que eles fossem voltar, ainda mais que a banda terminou com briga!
mas pelo menos com álbum novo tem chance de turnê e eles virem pra cá!

beijo ;*

Douglas Funny disse...

O Blink tinha acabado??... heheheheheh

Realmente eu abandonei o cenário musical "atual".

Caroline disse...

Ai, como eu sou "copo meio vazio", mas tô esperando mt não...
=*

*Lari* Schwartzmann disse...

Nossa...realmente.. tô q nem o Funny.. o Blink tinha acabado?
rs
mas é foda voltar uma banda com um dos integrantes não estando realmente na banda.. só comouma jogada de marketing e talz... é realmente acho q Blink não será mais o mesmo... até aer divertido...
e como vc disse:
"Porque o carisma, algumas vezes, vale muito mais que a genialidade..."
!!!
=**

Julio Simões disse...

Meu Deus, o Blink voltou!

Diante disso, só resta esperar para ver mesmo se a alegria de antes volta ou se a serenidade do Box Car Racer determina o novo rumo da banda. Concordo com você quando diz que eles acabaram quando se levaram a sério.

Em todo caso, vou fazer duas coisas: tirar o pó do meu CD ao vivo do Blink e favoritar esse blog de música. Gostei.

Beijo!

Douglas disse...

Belo texto; você expressa muito bem o que sente. Também penso, assim como você e tantas outras pessoas, que blink não voltará a ser como antes, porém acredito que algo novo venha, surpreendendo a quem esperou tanto tempo por isso.

Thiago "Ollie Queen" Silva disse...

Quanto mais as coisas mudam, mais elas ficam iguais.

...ou não.


Realmente, Blink 182 não será o mesmo nesse retorno, mas a indústria (pra não dizer o público), não é mais o mesmo.

Quase quatro anos é muito tempo. Conceitos nascem e morrem como o acender de uma chama ou a morte de uma estrela no espaço. Estava ali, quando nos damos conta, não está mais.

Financeiramente o retorno será bom. Também irá ajudá-los a reatarem em definitivo. Mas (e eu falo por mim), nós enquanto público já superamos o blink.


Só falta superarmos o movimento emo...antes que ele nos consuma. XD