domingo, 6 de fevereiro de 2011

Ouvir ou não ouvir, eis a questão?




Eu passei os últimos tempos tentando não pensar no assunto e nem criar expectativa. Olha, se tem coisas que são difíceis para mim é não pensar em algo e não criar expectativas.

Do que estou falando? Estou falando da tão aguardada/temida/demorada volta do The Strokes.

Depois de toda uma sensação de remake do 'Chinese Democracy', onde muito se falava sobre uma volta, mas nada de fato acontecia, eles finalmente entraram em estúdio.
Daí parece que gravaram, estavam produzindo, foram ouvir e pensaram "Affeeee, que isso?" e resolveram fazer tudo de novo.
Depois toda uma sensação e até comentários da banda de que o clima entre eles não era o mais amigável... Toda essa coisa foi criando um bolo no meu estômago e um medo do que poderia sair.

Possíveis capas, nomes e datas saíram e eu tentei não pensar sobre o assunto. Mas agora tinha um sample da música escolhida como single.

...
E agora?
Escuto ou não escuto?

Entenda, não era uma fã desnaturada e sim uma fã assustada. O Strokes foi a banda que fez um twist no meu gosto musical, que me abriu para novos estilos de música e que embalou noites e noites de reflexão sobre a vida com suas letras. Eles conseguiram ter 3 albuns ótimos, um diferente do outro, mas ÓTIMOS! Cada um tem uma estilo, mas o mais importante é que, você consegue ver Strokes em cada um deles...
Meu medo era que acontecesse, como com o Arctic Monkeys... não me leve a mal, o Humbug é ótimo, mas eu não escuto Arctic Monkeys, eu escuto uma banda diferente... e isso me fez perder um pouco da paixão. Mas isso não pode acontecer com Strokes! Não com eles... Eles são importantes demais para mim!

Bom, engoli o medo e escutei. São só 30 segundos. 30 segundos do primeiro single que se chamará "Under Cover of Darkness".
Ok... respira... aperta o play...


...

Todo o medo me abandonou e se transformou em alegria.
São 30 segundos inexplicavelmente ótimos!

Isso me acalma, mas por outro lado... me faz começar a criar expectativas.
A verdade é que teremos que esperar até março para descobrir se meu mundo entra em colapso ou se eu posso voltar a ser feliz tendo mais Strokes na vida.

3 comentários:

Brancatelli disse...

Eu gostei.
Tem uma vibe meio Room on Fire.
O problema é criar expectativa, mas já aprendi a acabar com elas..

Claudinei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Claudinei disse...

o vídeo foi removido, mas eu consegui encontrar em outro local. muito bom! A expectativa aumentou agora. Seria chato demais se depois desse tempo todo não viesse algo bem "strokes".
Aconteceu isso com o Gram. eles tiveram apenas dois álbuns. cada um em um ponto de extremidade. porém, ótimos...