terça-feira, 3 de agosto de 2010

Bem Mais Do Que Sou


Você se orgulha de mim?

Uma pergunta simples, exata, direta.
Que eu venho segurando durante todos esses últimos anos.
Você se orgulha de mim?

Não da pessoa que eu sou, mas da que eu me tornei.
Não da pessoa que você criou, mas da que eu resolvi ser.

Você se orgulha de mim?

Quando você olha para trás e lembra de todos os planos que tinha.
Quando chega em casa e percebe que nada realmente mudou.
Quando se da conta de que todo o trabalho e os sacrifícios de anos não serviram para nada até agora, e que no fundo eu não me esforço nem um pouco para fazer valer a confiança que você um dia colocou em mim.
Quando pensa em tudo o que eu podia ser e nunca fui.

Você se orgulha de mim?

Porque se antes eu era o seu espelho do passado, agora eu sou um rascunho mal-feito daquilo que você é.
E se antes eu me esforçava tanto para fugir da sua imagem, hoje o que eu mais queria no mundo era poder ser como você.

Enquanto você salva vidas, o que eu fiz da minha vida?
O que eu fiz da minha vida?

Então eu te pergunto.
Você se orgulha de mim?

Não perguntei se você me ama.
Esse é seu trabalho, sua obrigação acima de tudo.
Ainda que, muitas vezes, eu acabe tornando até mesmo isso uma tarefa difícil.

Porque, dia após dia, a hora em que eu te vejo é também a hora em que eu me sinto extremamente pequeno.

E sempre que eu percebo nos seus olhos aquilo que você não se atreve a falar, eu me sinto envergonhado demais mesmo que apenas para pedir desculpas por criar esse sentimento em você.
Por mais que você tente esconder, e por mais que eu me finja de cego, é impossível ignorar a decepção que eu enxergo nos seus olhos, e a constante frustração por não conseguir me entender.

Talvez seja esse o problema.
Você JÁ me entendeu.
Bem até demais.

E quando chega este dia do ano, tudo o que eu queria é que você olhasse para mim e pensasse que tudo valeu a pena, e que eu sou exatamente aquilo que você sempre quis que eu fosse.
E não se aguentasse de tão satisfeito por eu ter alcançado todas as suas expectativas.

E sentisse tanto orgulho em ser meu pai quanto eu sinto em ser o seu filho.

Resta a esperança de que, quem sabe um dia, eu consiga olhar nos seus olhos e te pedir desculpas.

Por tudo o que fui e ainda serei.
Por eu poder ser bem mais do que sou.


Feliz dia dos pais.

.

2 comentários:

guimbas disse...

muito muito muito bonito. muito mesmo.

Renatinha disse...

achei meio gay.



brincadeirinha.


;)