terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Brand New Start

Não se pode dizer que o Little Joy foi a grande surpresa de 2008.
Aliás, provavelmente o projeto não estaria nem entre as 10 maiores surpresas musicais do ano!
Afinal, junte o guitarrista/vocalista/letrista da mais influente banda brasileira dos últimos anos com o baterista da mais influente banda americana dos últimos anos e o mínimo que podemos esperar é algo ótimo.
Menos que isso seria um balde de água fria em todos os fãs das duas bandas.

E essa parceria não é bobagem.
Do mesmo jeito que o Los Hermanos influenciaram 80% das bandas que vieram depois deles, alçando-se à posição de principal banda nacional da década, os novaiorquinos dos Strokes inspiraram bandas como o Libertines, o Kooks, o Killers e o Arctic Monkeys, fazendo valer de certo modo o posto de "salvação do rock" que carrega desde seu primeiro album.
Por isso não dava pra ficar com o pé atrás quando Rodrigo Amarante e Fabrizio Moretti aproveitaram a pausa de suas bandas e resolveram criar algo diferente. Acompanhados da (gracinha da) namorada do Fab, Bink Shapiro (e que fica ainda mais gracinha tentando cantar em português), nasceu o Little Joy, que lançou seu primeiro album em novembro do ano passado.

Mas afinal.
Todo o hype valeu a pena?
Os dois fizeram valer toda a expectativa?


Mais que isso, eles fizeram um dos melhores albuns do ano!
Sem o mínimo exagero!!


Despretenciosa como uma banda iniciante, o trio parece algo do tipo "vamos chamar os amigos e fazer algumas músicas". Mais ou menos o mesmo espírito divertido já mostrado por Amarante em seu outro projeto, a Orquestra Imperial, misturando coisas como sons havaianos, baladas arrastadas e um rock ingênuo.
Mesmo as participações de gente do nível de Nick Valensi (guitarrista do Strokes) e do músico Devendra Banhart têm uma cara descompromissada que acaba contagiando qualquer um durante as 11 músicas do álbum, como se você mesmo estivesse escutando a banda de algum velho amigo.
E a energia das músicas somada ao fato de apenas duas faixas durarem mais que 3 minutos (maior trunfo - e falha - do álbum) cria uma incontrolável vontade de repetir o CD inúmeras e inúmeras vezes, sem nunca ficar cansativo.

Pode até parecer babação de ovo, mas por mais obrigatório que fosse sair alguma coisa boa desse projeto, eu sempre fico esperando o pior.
Então ver dois integrantes de duas das minhas bandas favoritas criarem algo tão bom quanto o Little Joy é sim, de certo modo, algo emocionante.

Aliás, enquanto eu deixo esse texto nas mãos da minha companheira de Two Cold Fingers para que ele seja publicado meia noite de quinta, eu estarei no primeiro show do Little Joy aqui em São Paulo.
Então agora que eu já disse tudo sobre o album, deixo para contar sobre o show na quinta que vem.

E de tão curto, o CD terminou ao mesmo tempo que eu termino de escrever esse texto.
Afinal, como todos os pequenos prazeres, esse também dura pouco...

4 comentários:

Renatinho... disse...

Não sei se por Los Hermanos e Strokes serem uma das minhas bandas preferidas, eu esteja com uma babação de ovo e escute com outros ouvidos, mas o álbum do Little Joy pra mim foi um dos melhores do ano passado!
Um som que faz bem ouvir, dá calma e tranquilidade parecendo um som praiano, como se fosse um luau a qualquer hora do dia...
Queria tanto tanto ir no show daqui do RJ, ainda mais no Mitológico [acho que forcei um pouco xD] Circo Voador, estarei me matando =/
Enfim, to no aguardo do comentário sobre o show!
Bom show e bom post!

Abrassss

Caroline disse...

As poucas músicas que me fizeram ficar apaixonada ano passado eram do Little Joy.
Não vejo a hora do show!

=)

Douglas Funny disse...

Ouvi pouco, mas o q escutei achei legal.

Confesso q não curto tanto o estilinho de bandas como Strokes, mas eles fazem um bom som... quanto ao Los Hermanos, realmente acho uma das melhores bandas atuais do Brasil.

Então a soma era boa...

Abraços.

Renatinha disse...

Ai meu deus... eu li o que achei que li no comentário do Funny?
;__;
Strokes é minha banda favorita... e Los Hermanos é bom... a Binki é multi-uso e tem uma voz linda.
Não tinha como dar errado.
Fato.
Dia 05 sou eu no show! =D