quarta-feira, 28 de maio de 2008

Quem se atreve a me dizer do que é feito o samba...?



Ok, ok...
Eu preciso confessar uma coisa.
Sabe, é difícil falar... precisei reunir bastante coragem pra vir aqui...
Sei que as pessoas vão cochixar pelas minhas costas, que seus olhares se tornarão diferentes...
Sei que irão apontar e me julgar pelo que estou prestes a dizer.
Mas eu preciso tirar isso do meu peito.
Lá vai:



EU ASSISTI A UM SHOW DE PAGODE!

DO GRUPO MOLEJO!!!


E querem saber...
Esse não é o pior, não...




EU GOSTEI!!!!!!




Pronto... podem começar a jogar suas pedras...
Entendo se vcs quiserem tirar esse blog dos seus favoritos.
E queria até dizer ao Thiago Borges, do Galáxia Zero Sete, que não levarei para o lado pessoal se ele quiser retirar os selos que ele atribuiu ao Two Cold Fingers.
Porque, para alguns, esse é o dia que a credibilidade do Brancatelli desceu pelo ralo.




. . .



O que me leva à pergunta:
Por que o pagode é um gênero tão mal-visto no seu próprio país de origem?

Eu sou o primeiro a admitir:
Sempre tive um certo preconceito quanto ao pagode.
Quer dizer... nunca consegui levar a sério bandas que se apresentavam no Domingo Legal deixando seu vocalista em primeiro plano fazendo um playback descarado e o resto do grupo dançando constrangedoramente ao fundo do palco, com um sorriso falso de orelha a orelha!
Mas pra ser sincero, eu não podia estar mais errado!
E é quando vc me diz:

- Mas Brancatelli... as letras são uma porcaria!!!

Só para aquelas pessoas que acham que, para um texto ser bom, ele tem que ter palavras difíceis, rimas elaboradas e essas coisas. Claro, uma letra mais refinada pode ficar boa numa música do Los Hermanos, ou do Legião Urbana, ou do Chico Buarque... mas essa não é e nunca foi a proposta do pagode.
Desafio qualquer um aqui a chamar de "porcaria" a letra de O Show Tem Que Continuar, do grupo Revelação... ou a não se divertir com a letra de Paparico, do próprio Molejo... ou a não achar simplesmente genial a letra de Vacilão, tornada famosa pelo Zeca Pagodinho.
Claro que muitas letras não valem nem um centavo... mas até aí, isso não é característica exclusiva do pagode...

- Mas Brancatrolhas... as melodias são todas bobas, infantis e iguais!!!

Ah, é? Então comparem a melodia de Domingo (do Só Pra Contrariar) com a melodia de Conselho (do Revelação)... e apenas a pessoa mais cabeça fechada do mundo dirá que são bobas, infantis e iguais. O pagode é uma vertente do samba, gênero que abrange artistas como Noel Rosa, Cartola, Paulinho da Viola, Candeia e Djavan... será que alguém aqui é capaz de criticar o senso musical dessas pessoas?

- Mas garoto de apelido esquisito... a maioria dos pagodeiros faz sucesso por serem bonitos e pelas garotas ficarem caidinhas por eles!!!!!

Sou obrigado a discordar por três motivos:
1) pelos dois tópicos acima, que provam que os méritos do pagode vão muito além da aparência.
2) pelo simples fato de grande parte dos pagoderos ser de uma feiúra incrível.
3) bem... não é exatamente isso que atraiu boa parte do público de bandas como Strokes, Libertines e tantas outras? Aliás, devemos lembrar principalmente que, no início, o punk surgiu como um movimento estético, onde a aparência era o principal combustivel.

- Mas... mas...

E digo mais.
Desafio os críticos que ainda não deram o braço a torcer a tentar tocar um pandeiro, um cavaquinho ou um surdo para ver o quão difícil é criar músicas usando esses instrumentos!

- É que... eu... eu só queria...

Além disso, o pagode está até no Guiness Book, na forma da música É Tarde Demais, do Raça Negra... ela foi a mais tocada em um só dia no mundo todo!

- Pode ser, mas... bem... éééé... hmmm...

E àqueles que taxam o gênero de "comercial", basta dizer que isso não deve ser levado como argumento para se falar sobre a qualidade de uma música, visto que boa parte das bandas existentes, não importando o estilo ao qual se encaixar, pode ser chamada de comercial!


Mais do que qualidade ruim ou gravadoras oportunistas, o que realmente mata a música é o preconceito.
Em sua definição nua e crua, o pagode significa festa.
Significa reunir seus amigos e se divertir.

Como algo com esse significado pode ser considerado ruim...?


Errata: me foi informado que as músicas aqui creditadas ao grupo Revelação na verdade são do Fundo de Quintal!!! Foi mal... =/

15 comentários:

matheuss disse...

vou demorar um tempo para conciliar um cara que gosta de Ok Computer com Só pra contrariar, eu sei que pagode é música pra se divertir, mas onde fica Shiny toy guns, e yelle, e B52's, e Cansei, e bonde do rolê, e kate nash, e le tigre, e new young pony club, e cobra starship, e as melodias alegrinhas do artic monkeys, e patu fu que é super alegre e intrigante sem ser repetitivo(tirando a música Made In Japan, que é mais repetitiva que Revelação ou coisa parecida)...???
ok, cada um tem seu gosto, e eu respeito quem gosta de pagode, mas parece tudo música da xuxa... o que é estranho
mas eu já gostei de pagode, e não acho isso uma vergonha, é bom saber como as coisas são de verdade sem ser superficial. mas eu não teria o cd do Fundpo de Quintal como a trilha do encontro com os amigos, tsá?
;DD
sem preconceito, às vezes no meu quarto sozinho eu ouço pagode, sempre de madrugada e no volume 3
brincadeira,
felicidade com os shows de pagode
;DD

Douglas Funny disse...

Realmente gostei do post, não só pelo pagode e do samba, mas sim do lado do preconceito... mas gosto é gosto né?! Não se discute...

Mas só para fazer um comentaio breve, os pagodes muitas vezes são iguais, pq em rodas depagode mutia coisa surge do improviso... quando o cavaco chora para uma musica q a galera pedi, o musico já sabe mandar uma sequencia proxima a verdadeira melodia da musica... e mais q isso, o pagode é feio de vários instrumentos de percusão, q somados fazem um som único e a voz do vocalista tbm deve se encaixar a melodia e não se sobressair. Diferente de várias bandas de rock, por exemplo, q realizam seus solos em meio as músicas e q vozes estridentes fazem sucesso...

Não é crítica não, até gosto mais de rock do q pagode, mas gosto de boa música... q pode ser feita em qualquer estilo... só me nego a me prender em preconceitos...

Abraço!!

Mar e Ana disse...

Aaahhh eu tive uma fase extra pagodeira. Mas passou. De vez em quando me dá uma saudade porque uma das coisas mais gostosas de se dançar é pagode, claro que com alguem que tbm saiba dançar, mas tá valendo =p
Realmente, pagode sofre muito preconceito... mas não é de todo mundo não... tem tanto lugar por aí que a maioria das baladas são de pagode e as casas ficam lotadas.
Quanto a qualidade, tem grupos bons e ruins, como em qualquer outro tipo de música...

:*

Flávia disse...

genial.

Tchelo disse...

Só uma coisa, as músicas que vc colocou como sendo do Revelação, não são do revelação.


Que revelação, não?




Mas o show do Molejão foi divertidissimo!!!!!
Não era amor, era CILADA!!!

Vitinho disse...

Sou suspeito para falar. Caí na maldição do samba e sempre gostei de pagode sem qualquer problema de auto-afirmação quanto a isso. Nem por isso, fechei meus olhos e tapei meus ouvidos a outros estilos. Basta dizer que eu saía do Hangar e ia para o Mocidade. Do hardcore ao samba em 20 minutos. E curtindo os dois.

Depois de muito pensar, chego a conclusão de que a grande realidade é uma só. Por mais doído que isso possa parecer, odiamos aceitar que negros pobres conseguem fazer música melhor que nós. E detalhe: eles não precisam de amplificadores, tomadas, microfones e afins. É tudo na palma da mão e na batida do couro.

Um preconceito tão segregacionista que se expõe ainda mais quando vemos que no samba / pagode ele não existe. Apesar da discriminação com que é vista, qualquer um que chegar numa roda de samba batendo na palma da mão, independentemente de sua cor, não vai ser mal visto.

As pessoas deviam seguir o conselho de Arlindo Cruz antes de julgar:
"A festa da massa ainda não morreu.
Chega de meter o dedo no que não é seu"

Bom texto, Branca. É isso mesmo. Cause polêmica pois ela é o combustível da mudança.

lucianojiraya disse...

Olha devo confessar que também gostei do show do molejo, foi difícil não se deixar contagiar por todo o clima de festa, alegria e bom humor presente.
Não é um som que eu ouviria aqui em casa pra curtir, mas...
E Zeca Pagodinho é o auge!!!

Renatinha disse...

Hummm...atenção...atenção...

Inédito!
Um comentário meu no post do Branca!

Chamem os amiguinhos pra ver! =P

Eu só queria comentar na verdade, que muitas pessoas que acham as letras de pagodes fracas deviam se dar ao trabalho de traduzir músicas de suas bandas favoritas...! É sério... eu mesma já fiz isso. As vezes temos a impressão de que são letra fodíssimas pelos simples fato de estarem em inglÊs, quando na verdade são tão, ou mais bobas que essas letras que desprezamos...!

Renatinha disse...

Ah droga...esqueci de dizer que eu estive no mesmo show e que foi um dos mais divertidos da minha vida! =]

Rulio disse...

É.. A idade vai chegando e as pessoas ou vão ficando cada vez mais ranzinzas, ou começam a experimentar, procurando aquelas boas sensações de antigamente e que não encontram mais nas coisas de sempre.. tipo bixa velha, que sai do armario aos 40, sabe?

O que mais me estranha, Branca, não é nem o fato de você dizer que provou (e gostou) de pagode mas ver você ficar dialogando consigo mesmo no texto.. isso sim é algo que nunca deixo de achar zibarro, coisa de esquizofrenico.

Guilherme disse...

Po, mas Molejo é bom demais!!

Eles foram no programa do Jô uns dias atrás, e me fizeram lembrar da época que pagode era uma febre...

Não me lembrava pq eu achava legal...No primeiro sorriso torto do vocalista junto com a levada do cavaquinho, eu me lembrei o pq...heheheh

Froio disse...

Branca... eu comecei a ler.
mas quando o famigerado "GOSTEI" eu assumo que parei e perdi um pouquinho do meu respeito por vc.
bobo-feio-cara-de-mamão

Thiago Borges disse...

O que é que é isso amigo, eu nunca tiraria os seus selos! Presente é presente!

Aprecio muito o bom samba. Repetindo “o bom samba!” Gosto de João nogueira, Martinho, Cartola, Pulinho, entre outros grandes sambistas. Pagode mesmo eu acho muito pré-fabricado, no máximo eu curto um pouco do Raça Negra e do Fundo de Quintal, mas admito que tem umas duas músicas do grupo Revelação que são pop no osso, não tem como não cantar hehe.

Vejo da seguinte forma: Do mesmo jeito que os Ramones representavam o verdadeiro punk e hoje em dia tem seus derivados como o My Chemical Romance, Martinho e Cia representavam o verdadeiro samba e hoje em dia tem o pagode que é meio que um derivado sacá? Mas gosto muito do Seu Jorge!!

sambista disse...

Esse é o verdadeiro samba, o resto é resto mesmo, sem mais.

sambista disse...

O samba é feito de um puro sentimento que vem da alma do compositor, surge do acaso, não é elaborado. O samba já está feito no inconciente do compositor, ele surge quando há emoção e sentimento naquele momento, sem isso, não é possível evidenciar o verdadeiro samba. São essas minhas palavras que vem do coração.

Salve, salve o verdadeiro samba.